Manivelas, roldanas, polias e anilhas fazem maravilhas pelo corpo. Saiba mais sobre o Gyrotonic.

Ioga, tai chi e natação em aparelho.
 

Os movimentos são circulares e sequenciais, tal como em uma dança. Nada do famoso agacha e levanta com halteres nas mãos e caneleiras com pesos presas nas pernas. São vários exercícios, e todos desafiadores. Exemplo? Mobilizar o tronco como se ele fosse dividido em pequenas partes. Em geral, quem trabalha diante de um computador o dia inteiro tem o corpo repartido em grandes blocos sólidos, cheios de limitações (e dores!).

O Gyrotonic ajuda você a se conscientizar de que a coluna é móvel e que pode ser ativada e mobilizada para prevenir e curar lesões. A instrutora fica de olho em você, ou seja, não há brecha para dar a tradicional “matada”. Imagine se sentar apoiada nos ísquios, acionar o abdômen (especialmente o músculo transverso, um ilustre desconhecido para a maioria dos mortais), abrir o peitoral, posicionar o pescoço no ângulo certo e relaxar os ombros enquanto se faz um mergulho, depois um arco com o tronco, ou se gira a manivela, formando um oito…

Introduzido no Brasil em 1997 pela bailarina Rita Renha, que também oferece cursos de certificação, o Gyrotonic já tem parte dos cinco equipamentos fabricados na Bahia. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *